Botas Salto Agulha

Botas Salto Agulha

sábado

Perfil

(Crica Fonseca)

Sou tão contraditória quando a própria noção do tempo.
Minha idade não é reconhecida em meu rosto.
Sou meio bruxa, meio religiosa,
Meio mãe, sem nunca ter sido.
Sou uma princesa mimada,
uma Maria Ninguém,
E uma Rainha.
Artista de tantas escolas.
Camaleoa de verso e prosa.
Irritantemente perfeitinha.
Deslumbrantemente louca...
Fui educada na high society,
Acompanhada pela elegância e pela decadência.
Tenho aventuras para contar de Paris ao Bronx (NY).
Apaixono-me e Desapaixono-me.
Nada é pra sempre, nem a minha tatuagem.
Tudo torna-se-á pó depois de percorrer os caminhos do corpo.
Acredito no amor.
Reconeheço os perigos e a fragilidade da paixão.
Já cansei de esperar e juntar os caquinhos para salvar relações.
Talvez um dia procure sexo como diversão.
Dito regras e vivo a exceção de cada uma delas.
Por vezes, sou Inteligente,
Misteriosa,
Encantadora.
Algumas vezes, Linda.
Outras vezes, Medonha!
Revolucionária,
Romântica,
Ingênua
e Idiota!
Mulamba gata solitária de rua...
Permito-me a relacionamentos fora do padrão.
Ao padronizar alguns,
apenas repeti modelos fracassados.
Padrões, conceitos e preconceitos são mesmo uma bobagem!
Não me importo quando vivo amores que não pagam as contas.
Procuro sentimento ao relacionar-me com os homens.
Para fazer negócio, ou comprar uma casa, procuro as páginas dos classificados.
Ah! E não estou disponível nos recortes de jornais.
Não me vendo! E não quero ser tratada como objeto.
Tenho algum dinheiro para comprar momentos inesquecíveis
e pagar sessões de psicoterapia.
Tenho fala mansa e punho agressivo.
Entrego-me e recuo.
Preciso viver a intensidade da presença
e isolar-me.
Divido meus dias entre sonhos
e a dura realidade.
Não quero que ninguém chore.
Vez ou outra, acabo chorando por uns e outros...
Não aceito ordens, mas me dobro aos pedidos ao pé do ouvido.
Somente assim vou buscar a lua cheia em dia de um quarto minguante.
Faço campanha contra o câncer,
mas odeio fazer o exame preventivo.
Nem deixo alguns vícios definitivamente,
nem consigo evitar o sol.
Meu ventre é sadio,
mas sem filhos.
Gero vida amando incondicionalmente.
Profissionalmente dedico-me àqueles que esqueceram de viver.


(Crica Fonseca)

3 comentários:

Anita "Menina Flor" disse...

Amei seu texto, somos um pouco tudo isso sim. Um maravilhoso 2010 pra ti. Beijinhos.

Fabiola Neves disse...

Conclusão que eu tirei...
Vc é linda e autêntica.
Obrigada pelos elogios e pela visita ao meu post.
Estarei a disposição para qualquer dúvida que tenha sobre gastroplastia.
Beijinhos

Rafael Castellar das Neves disse...

Caramba...que excelente descrição, que exposição corajosa...muito bom!! Parabéns..